Aqui No Mato

Aqui No Mato - João Vilarim

Aqui no mato só se entranha em coisa esmera a cabocla flor mais bela, todo canto do lugar
Aqui tem terço, tem devoto, oração tem inté uma procissão pro povo serpentear
Tem cantador, tem viola que ponteia faz canção pra lua cheia e pras moças suspirar
Festa na roça, violeiro apaixonado tem fandango tem bailado, catira sapatear
Festa na roça, violeiro apaixonado tem fandango tem bailado, catira sapatear

Aqui no mato só se planta pro sustento mutirão em movimento pra comida não faltar
Aqui tem pasto, tem queimada, plantação carinho pra criação, leite puro ordenhar
Aqui tem seca, tem geada e pobreza mas não falta a beleza, fartura vem do olhar
Velho matuto, coroné, tem boiadeiro tem sem terra, tem poceiro e causo pra se contar
Velho matuto, coroné, tem boiadeiro tem sem terra, tem poceiro e causo pra se contar

Aqui no mato tem cheiro de cafezal melado do canavial, pra sua boca adoçar
Aqui bem cedo o galo canta acorda a vida o caboclo sai pra lida com a enxada a empunhar
Aqui tem mestre, tem estudo e professor tem sábio trabalhador pondo a mão pra calejar
Sabedoria vem da terra, natureza vem do gesto de nobreza a todos cumprimentar
Sabedoria vem da terra, natureza vem do gesto de nobreza a todos cumprimentar

Aqui no mato tô vivendo o meu futuro meu passado já fui duro mas não posso que reclamar
No meu ranchinho vivo eu mais minha velha ainda moça, ainda bela, juntinhos a namorar
A criançada já cresceu, já estão formados cada um para o seu lado, novo mundo conquistar
Hoje a alegria vem dos gritos, correria vem do amor vem da folia ver os netos a brincar
Hoje a alegria vem dos gritos, correria vem do amor vem da folia ver os netos a brincar

Voltar
we.digi - agência digital
Copyright © 2018 Todos os direitos reservados: João Vilarim | Ponteio Caipira