Buscando A Mineira

Levantei acampamento na beira do Tietê
Pra buscar minha morena há tempos nós não se vê
As cartas que ela mandou, já não consigo mais ler
O tempo amarelou, a saudade amassou e a distancia faz esquecer

Olhando para fogueira acesa no escurecer
Olhando o clarão da lua, as estrelas fazem me ver
O brilho resplandecente aumenta meu padecer
Nas estrelas teu olhar, a lua me faz sonhar com tua chama a me aquecer

Com as notas do meu pinho espanto qualquer tristeza
O canto da passarada me mostra grande pureza
O dueto tá formado a viola e a natureza
Modinha que fiz pra ela, uma poesia singela, pra mostrar tua beleza

Tenho uma jura de morte, dos parente da mineira
Eu sai de lá fugido, atravessando fronteira
Até hoje me procuram, com o trinta na cartucheira
Eu tô correndo perigo, com qualquer caboclo eu brigo nosso amor é a trincheira

Na alma deste caipira habita a sinceridade
Razão e compreensão, orgulho e honestidade
Coração deste matuto é repleto de coragem
Seja do jeito que for só carrega um amor não divide na metade

Já tá completando um ano que dela me apartei
No embornal minha coragem justiça é minha lei
Eu vou buscar a mineira e tudo que semeei
Vou enfrentar seus parentes e ver a minha semente que no ventre dela deixei

Voltar
we.digi - agência digital
Copyright © 2018 Todos os direitos reservados: João Vilarim | Ponteio Caipira