Luminescência

Luminescência - João Vilarim

Passos que marcam um caminho, ou segredo da imaginação
Flores envoltas em espinhos, o perigo é bem mais que a emoção
Pra viver sem amor é gostar de brincar com a razão
Um cuitelo e a flor é bem mais que beijar o botão

A paz que rodeia a morada, o sossego cercando o lugar
A chuva que molha a roçada, o verde não tarda a brotar
Vem a relva e umedece as cores, vem o sol outro dia reinar
Vem o pão que trocado com a fome serve à mesa, é o enfeite do lar

Seguir linha do horizonte o paraíso pra sempre sentir
Olhar no balanço das águas e o mar outro dia engolir
Surge ao fundo o negror chamuscando de astros brilhantes
Surge a lua, o esplendor que revela a paixão dos amantes

Nos olhos brilho enamorado luz divina que ofusca no ar
Nos sonhos o vôo parado, expressão do poder de amar
Na terra os filhos que nascem pra um novo ciclo começar
No coração uma força que cresce, e tudo começa no olhar

O tempo dita e quanto pesa paciência para revogar?
Um beijo afoito na boca quanto lhe custa esperar?
Se embebeda na fonte porém o pranto pode lhe afogar!
Um aceno pra hora do adeus ou anel pra sua mão enfeitar

Voltar
we.digi - agência digital
Copyright © 2018 Todos os direitos reservados: João Vilarim | Ponteio Caipira