Onde Quer Que Eu Vá

Onde Quer Que Eu Vá - João Vilarim/Nico

Onde quer que eu vá, as lembranças vem comigo
Onde quer que eu vá, quero ser o seu perigo, Ah!
Como quer que eu vá se meu braço é o teu abrigo

O brilho dos teus olhos, um sorriso a meia luz
Na pureza dos teus gestos o meu corpo ao teu conduz
Transparece sua calma serena como a lua cor de prata
Teu corpo esculpido em ouro, seus olhos misturando a mata

Sinto em dor o meu prazer, a carne toda a se queimar
Criança no alvorecer, em fera a noite pra lhe amar
Morena da pele macia que habita nesta imensidão
Tão grande quanto ao universo ou toda em meu coração

Voltar
we.digi - agência digital
Copyright © 2018 Todos os direitos reservados: João Vilarim | Ponteio Caipira