Recompensa

Recompensa - Nico /João Vilarim

Dito aventura de um menestrel, sei não estar escrito em nenhum papel
Sei da paciência, sei da persistência de esperar da abelha o seu mel
Sei da paciência, sei da persistência de esperar da abelha o seu mel

Cachorro louco em beira de estrada
Trilhas asfaltadas subindo pro céu
Igrejas sacudindo os sinos tira o seu chapéu
A noite nos braços da lua,
Fuga que é tua reza por um anel
Adormece na beira do mato fazendo vergel

Fruto da aventura de um menestrel, rostos que se cobrem com um véu
Desumanidade, toda crueldade, posto em sua boca o seu fel
Desumanidade, toda crueldade, posto em sua boca o seu fel

Cachorro louco volta à sua casa
Tem sua morada, monta em seu corcel
Chega de fazer de cama seu velho xeréu
Dias e noites geladas
Longas madrugadas se faz ser fiel
Colha sua recompensa seu favo de mel

Voltar
we.digi - agência digital
Copyright © 2018 Todos os direitos reservados: João Vilarim | Ponteio Caipira