Vida Do Interior

Vida Do Interior - João Vilarim/Nico

Ah! Vida do interior

De manhã cedo, antes do galo cantar
Pulo logo bem primeiro para a lida começar
O meu café lá no bule já passado
Feito num fogão de barro que é pro gosto apurar, apurar

Eu junto a rês num galope com meu baio
Levo o trato no balaio para ordenha eu começa
O leite puro com escuma no caneco
Junto conhaque e desperto que é pro gosto apurar, apurar

As dez e pouco tá na hora do almoço
Vou pra casa bem disposto mas não deixo de notar
Cheiro de cana do alambique ali do lado
Dou um trago no gargalo que é pro gosto apurar, apurar

Corro o chiqueiro, o galinheiro e o pesqueiro
Trato a horta e o viveiro pra não me preocupar
Pego na enxada arranco as ervas mais daninhas
Apanho as frutas madurinhas que é pro gosto apurar, apurar

De tardezinha eu junto com a prenda minha
Tiro ela da cozinha para a gente namorar
Largo o cansaço, tiro a bota e meu chapéu
Dou-lhe um beijo e vou pro céu que é pro gosto apurar, apurar

Domingo à tarde reuno meus companheiros
Truvo um truco no terreiro mas não deixo nem faltar
Uma cachaça que acompanha a galinhada
Junto à sombra balançada que é pro gosto apurar, apurar

Truco de zape e de blefe vem a resposta
"Meto seis no sete copa vejo o pato espernear”
Eu "cubro toco”: "Reboque de igreja veia”!
Pisco o olho e dou idéia que é pro gosto apurar, apurar

O sol nascente lá no alto lá da serra
Vem trazendo a primavera eterna neste lugar
No interior até onde a vista alcança
De mãos dadas à esperança pra vida continuar, e apurar

Voltar
we.digi - agência digital
Copyright © 2018 Todos os direitos reservados: João Vilarim | Ponteio Caipira