Quando A Saudade Machuca (RCA 1060058) - (1975) - Abel e Caim

Para ver a lista de msicas, clique na lista abaixo.

Chuva, Sangue Da Terra
A chuva sangue da terra que faz a planta nascer
A chuva sangue da terra que faz a planta crescer

A seca é mãe da miséria, a chuva mãe da fartura
A chuva pingo de ouro caindo lá das alturas
A terra está molhada não tem pranto nos olhos meus
A chuva que cai do céu, vem lá da casa de Deus

A chuva sangue da terra que faz a planta nascer
A chuva sangue da terra que faz a planta crescer

No dia que está chovendo debruço em minha janela
Apreciando a paisagem a natureza é tão bela
A plantação está crescendo a chuva batendo nela
A chuva que cai do céu é fartura na panela

Minha Mensagem
Oh, mamãe se estiver me ouvindo
Ouça bem com toda atenção
Esta minha mensagem saudosa
Nela vai falar meu coração

Quando tempo eu não vejo a senhora
Quanta falta agora me faz
Doce infância que tive a seu lado
E hoje sei que não volta jamais

Que saudade que estou sentindo
De te ver breve tenho esperança
Eu quisera estar neste momento
Em teus braços como criança

Por estar ausente de ti mamãe
Escrevi esta minha canção
E um singelo presente que faço
Do todo o meu coração
 
Se eu pudesse através destes versos
Dar-te um beijo por gratidão
Pra ser filho de uma mãe tão boa
Eu faria com toda paixão

Mas não posso bem sabes mamãe
Bem por isso esta minha canção
É um singelo presente que faço
E com toda dedicação

Que saudade que estou sentindo
De te ver breve tenho esperança
Eu quisera estar neste momento
Em teus braços como criança

A Garota Da Loteca
Meu Deus do céu ela é uma boneca
Eu estou apaixonado
Quero ser o namorado da garota da loteca

Meu Deus do céu ela é uma boneca
Eu estou apaixonado
Quero ser o namorado da garota da loteca

Quando eu pego no volante pra jogar a esportiva
De fazer os treze pontos minha esperança é bem viva
Assinalo meu palpite ela perfura a cartela
Não faz mal se eu perder esse jogo, se ganho ela

Meu Deus do céu ela é uma boneca
Eu estou apaixonado
Quero ser o namorado da garota da loteca

Meu Deus do céu ela é uma boneca
Eu estou apaixonado
Quero ser o namorado da garota da loteca

Se eu ganhar essa garota sou feliz como ninguém
O meu receio maior é perder meu grande bem
E se eu fizer os treze não serei mais sofredor
Tenho medo é de dar zebra, meu bem, em nosso amor

Meu Deus do céu ela é uma boneca
Eu estou apaixonado
Quero ser o namorado da garota da loteca

Meu Deus do céu ela é uma boneca
Eu estou apaixonado
Quero ser o namorado da garota da loteca

Selo De Sangue
Lá nos campos de batalha o pracinha escrevia
Pra sua noiva contando a saudade que sentia
Como era examinada todas as cartas que saia
Mandava boas notícias, a verdade não dizia

Um dia chegou uma carta e estava escrito Lourdinha
Eu estou bem de saúde e quando ver estas linhas
Por não ter outro presente, junto com esta cartinha
Tire o selo desta carta e guarde por lembrança minha

Tirou o selo e por baixo com sangue viu assinado
Estou sem as duas pernas num hospital internado
Lourdinha foi na capela rezar pro seu bem amado
Pra que Deus mandasse ele mesmo que fosse aleijado

E quando a segunda carta a Lurdinha recebeu
Tirou o selo depressa com espanto percebeu
Em baixo não tinha nada rasgou o envelope e leu
Que num hospital de guerra o seu amado morreu

Lurdinha ficou doente pouco tempo mais durou
Dois selos tão pequeninos destruiu tão grande amor
O primeiro trouxe o sangue com que seu noivo assinou
E o derradeiro envelope foi a morte que selou

Seu Engano
Sou muito homem pra seguir sozinho
Pisando espinhos que você deixou
Sou muito homem para esquecer
De tudo aquilo que você falou

Pode seguir com quem você quiser
Mesmo sofrendo eu seguirei enfrente
Não voltarei pra lhe implorar
Isso eu não faço por que sou muito gente

Talvez você deseje que eu me arraste
Até seus pés para sorrir de mim
Mas este gosto você não vão ter
Não sou um verme para agir assim

Um vento forte há de soprar bastante
Para tirar da minha estrada o espinho
Talvez um dia este mesmo vento
Carregue tudo para o seu caminho

Nunca se diz desta água não bebo
Por que o mundo é cheio de fricote
Você um dia pode aparecer
Pra beber água aqui no meu corote

Talvez você deseje que eu me arraste
Até seus pés para sorrir de mim
Mas este gosto você não vão ter
Não sou um verme para agir assim

Castigo De Amor
Conheci um marceneiro lá em Campo de Mourão
Por ser um rapaz direito e grande na profissão
Era noivo de aliança com a filha do patrão
E por esta criatura ele tinha adoração
Mas o malvado destino veio na perseguição, ai

Tudo isso aconteceu num costume que pegou
Pra colocar as correias no desligava o motor
E foi num desses momentos que sua mão escapou
Imprensando na polia o seu braços decepou
E pro seu resto de vida aleijado ele ficou, ai

Daquele santo patrão continuou sendo empregado
Mas de quem ele tanto amava ele foi abandonado
A moça falou pra ele vamos romper o noivado
Não me caso com você por que agora está aleijado
Se conforme com o destino e cada um segue pra um lado, ai

O rapaz se conformou com aquela ingratidão
Ela se casou com outro, mas a sorte foi em vão
Cinco anoinhos já tinha seu filho de estimação
Não sai da oficina, inclinado a profissão
Certo dia ele brincava na polia de transmissão, ai

De repente o garotinho em uma grande gritaria
O motor foi desligado quando alguém se socorria
Tinha sido acidentado naquela mesma polia
Que depois de alguns anos mais dano cometia
Vendo seu filho aleijado em pranto sua mãe caía, ai

Até mesmo o destino esse inocente marcou
Pra pagar o grande erro que sua mãe praticou
Desprezou o marceneiro honesto e trabalhador
E seu filho adorado igual o moço ficou
Hoje chora arrependia pelo castigo do amor, ai

Quando A Saudade Machuca
O boiadeiro quando vai pela estrada
Tocando a boiada a lembrar de um bem querer
Na distancia do caminho a saudade é mais pungente
Aquele amor eloqüente e a razão do seu viver

Vai a saudade machucando ele
A cada passo na longa estrada
Quando escurece ele faz o pouso
Sonhando sempre com a sua amada

Vai a saudade machucando ele
A cada passo na longa estrada
Quando escurece ele faz o pouso
Sonhando sempre com a sua amada

Assim na vida todos tem o seu roteiro
Também fui boiadeiro muitos anos viajei
Comparando-me com ele a pequena diferença
E que eu perdi a crença da mulher que mais amei

Vai a saudade machucando ele
A cada passo na longa estrada
Quando escurece ele faz o pouso
Sonhando sempre com a sua amada

Vai a saudade machucando ele
A cada passo na longa estrada
Quando escurece ele faz o pouso
Sonhando sempre com a sua amada 

Santa Izabel
Numa cidade de Portugal nasceu Isabel de Aragão
Filha de rei e rainha da antiga geração
A princesa crescia dia a dia As suas primeiras palavras foram Jesus e Maria
Desde criança foi piedosa a todos praticava o bem
Na santa fé religiosa a ninguém ela foi infiel
O mundo inteiro chorou a morte de santa Isabel

Salve, salve santa Isabel rainha de Portugal
Queira nos abençoar e nos afastar o mal
Aqui vai nossa homenagem a padroeira das rosas
Ilumine a nossa estrada com suas preces fervorosas

Protetora da pobreza deu amparo e nobreza
Só fazia a caridade com bondade tão sem par
Transformou em lindas flores as esmolas que ia dar
Salve nossa padroeira que hoje esta no seu altar

Ela curou até chagas com seus beijos sacrossantos
Que nem dá para contar seus milagres foram tantos
Proteja a juventude nesta vida tão cruel
Mostrai o caminho oh, virgem santa Isabel

Meu Amor Voltou
Esta tudo bem, estou feliz agora
Meu amor voltou não vai mais embora
Esta tudo bem, estou feliz agora
Meu amor voltou não vai mais embora

Não vai mais sentir saudade este peito apaixonado
Todo pranto e sofrimento hoje é coisa do passado
Acho que a felicidade vai ficar sempre a meu lado
Meu sofrimento acabou sei que gora vou viver sossegado

Esta tudo bem, estou feliz agora
Meu amor voltou não vai mais embora
Esta tudo bem, estou feliz agora
Meu amor voltou não vai mais embora

O coração quando ama começa doer na gente
Sei que a saudade não mata, mas pode deixar doente
Quem sabe sofrer calado o que sente não revela
Mas eu para resistir quase morri de saudade dela

Esta tudo bem, estou feliz agora
Meu amor voltou não vai mais embora
Esta tudo bem, estou feliz agora
Meu amor voltou não vai mais embora

Esta Noite Eu Vou Embora
Faz um ano que briguei com a minha queridinha
Sei que ela está sofrendo sentindo saudade minha
Faz um ano que briguei com a minha queridinha
Sei que ela está sofrendo sentindo saudade minha

Oi, meu bem
Está note vou embora, sigo no primeiro trem
Oi, meu bem
Está note vou embora, sigo no primeiro trem

Eu vivendo aqui distante deste alguém com quem briguei
Dizem que homem não chora eu confesso que chorei
Eu vivendo aqui distante deste alguém com quem briguei
Dizem que homem não chora eu confesso que chorei

Oi, meu bem
Está note vou embora, sigo no primeiro trem
Oi, meu bem
Está note vou embora, sigo no primeiro trem

Quando eu estiver com ela de emoção eu vou chorar
Provando mais uma vez que nasci pra te amar
Quando eu estiver com ela de emoção eu vou chorar
Provando mais uma vez que nasci pra te amar

Eu vivendo aqui distante deste alguém com quem briguei
Dizem que homem não chora eu confesso que chorei

Tereza Quer Que Eu Trabalhe
Tereza quer que eu trabalhe Maria mandou falar
Quem sabe cantar bonito o trabalho é só cantar
Minha gente ninguém sabe o trabalho que a viola dá

Tereza quer que eu trabalhe, Maria conta não faz
Da Tereza eu gosto um pouco, de Maria muito mais
Moro na rua de cima, na debaixo eu vou primeiro
Na de cima eu sou casado e na debaixo eu sou solteiro

Tereza quer que eu trabalhe Maria mandou falar
Quem sabe cantar bonito o trabalho é só cantar
Minha gente ninguém sabe o trabalho que a viola dá

Pra dividir com as duas vou partir meu coração
Pra uma deixo saudade, pra outra deixo paixão
Eu amo duas mulheres, todas as duas com firmeza
Quando estou com a Maria que saudade da Tereza

A Menina Que Eu Tenho Lá
O galo cantou já é madrugada
Eu não durmo mais vou me levantar
Vou pegar meu pingo e por o areio
Vou na cidade dar um passeio
Vou ver a mina que eu tenho lá

O galo cantou já é madrugada
Eu não durmo mais vou me levantar
Vou pegar meu pingo e por o areio
Vou na cidade dar um passeio
Vou ver a mina que eu tenho lá

Mas se por acaso ele estiver com outro na praça
Pode crer que ali naquele lugar vai haver fumaça
Vou encher a cara, dar tiro pra cima, fazer arruaça
Dona que eu gostar não vou aceitar que um outro abraça

O galo cantou já é madrugada
Eu não durmo mais vou me levantar
Vou pegar meu pingo e por o areio
Vou na cidade dar um passeio
Vou ver a mina que eu tenho lá

O galo cantou já é madrugada
Eu não durmo mais vou me levantar
Vou pegar meu pingo e por o areio
Vou na cidade dar um passeio
Vou ver a mina que eu tenho lá

Mas se a menina estiver na praça me esperando
Na noite que vem vou fazer o que eu estou pensando
Eu não vou ficar falando sozinho onde estou morando
Estou decidido e buscar a dona que estou gostando

O galo cantou já é madrugada
Eu não durmo mais vou me levantar
Vou pegar meu pingo e por o areio
Vou na cidade dar um passeio
Vou ver a mina que eu tenho lá

O galo cantou já é madrugada
Eu não durmo mais vou me levantar
Vou pegar meu pingo e por o areio
Vou na cidade dar um passeio
Vou ver a mina que eu tenho lá

Msicas do lbum Quando A Saudade Machuca (RCA 1060058) - (1975)

Nome Compositor Ritmo
Chuva, Sangue Da Terra Lourival Dos Santos / Tião Carreiro Toada
Minha Mensagem Zé Do Rancho / Zé Paioça Valsa
A Garota Da Loteca Malazarte / Abel Cururú
Selo De Sangue José Fortuna Rojão
Seu Engano Léo Canhoto Ritmo Jovem
Castigo De Amor Zé Dourado / Piracicaba Moda de Viola
Quando A Saudade Machuca Dino Franco / Edgard De Souza Toada
Santa Izabel José Dias Folia de Reis
Meu Amor Voltou Zé Do Rancho / Riccieri Faccioli Samba Caipira
Esta Noite Eu Vou Embora Sebastião Victor / José Rico Vanerão/Rojão
Tereza Quer Que Eu Trabalhe Lourival Dos Santos / Tião Carreiro Pagode
A Menina Que Eu Tenho Lá Jack / Abel Rojão
Compartilhe essa pgina
Aprenda a tocar viola, acesse Apostila de Viola Caipira Material de qualidade produzido por Joo Vilarim