Milionário E José Rico Ao Vivo - (1999) - Milionário e José Rico

Levando A Vida
Como pode um homem viver assim
Sendo escravo do amor e da paix√£o
Eu preciso apagar de minha mente 
Necessito esquecer urgentemente
De pessoas que só feriram meu coração

Eu pretendo construir um novo lar
Ter mais filhos e uma esposa de verdade
Pois o mundo é uma bola e está girando
Em sua volta os mais fracos v√£o ficando
Feliz daquele que tem história pra contar

Vou levando a vida e a vida me levando
Nunca tive preconceito fazer o bem sei que é direito
E assim vou levando a vida 
Vou levando a vida e a vida me levando
Nunca tive preconceito fazer o bem sei que é direito
E assim vou levando a vida

Sonhei Com Você
Depois de muito tempo acordado j√° cansado de tanto sofrer
Esta noite eu dormi um pouquinho sonhei com você
Você apareceu em meu quarto e sorrindo me estendeu a mão
Se atirou em meus braços e beijou-me com emoção

E matando a paixão recolhida num delírio de felicidade
Em soluço você me dizia amor que saudade

De repente em menos de minuto
Você se transformou num vulto e logo desapareceu
De repente em menos de um minuto
Você se transformou num vulto e logo desapareceu

Quando acordei n√£o te vi, que desespero
Minhas l√°grimas molharam a fronha do meu travesseiro
Meu bem como é maravilhoso sonhar com você
Amor como é triste acordar e não te ver

Denguinho
Se eu to querendo e você quer ninguém segura
Nosso amor é uma loucura um beijo acende nossa chama
Você me agarra num cantinho escondidinho
E me pede com denguinho venha meu amor me ama
Você me agarra num cantinho escondidinho
E me pede com denguinho venha meu amor me ama

√Č t√£o gostoso esse amor que a gente faz
O fogo desta paix√£o cada dia aumenta mais
√Č bom morrer de amor sentindo seu querer
Quea gente n√£o segura e se arrebenta de prazer

P√£o De Mel
Você é minha luz, estrada meu caminho
Sem você não sei andar sozinho
Sou tão dependente de você
Chama que alimenta o fogo da paix√£o
Chuva que molhou meu coração
Sou tão dependente de você

Vem meu céu, meu pão de mel
Meu bem querer
Vem meu céu, meu pão de mel
Meu bem querer 

Ai, ai, ai, ai, ai, esse amor
√Č bom demais
Ai, ai, ai, ai, ai, esse amor
Marcou demais
Ai, ai, ai, ai, ai, esse amor
Ficou em mim
Ai, ai, ai, ai, ai, esse amor
Não vai ter fim 

Tribunal Do Amor
Sei que sou um preso, preso em liberdade
Confesso n√£o sou um covarde
Sempre fiz meu papel de homem
N√£o matei e nem roubei
Só sei que estou condenado
Eu pretendo ser julgado
Pelo tribunal do amor

Sou eu que vivo sofrendo
De paix√£o quase morrendo
Quem viveu comigo n√£o me deu valor
Sou eu que vivo sofrendo
De despeito estou quase morrendo
Por eu ser um condenado do amor

Tempestade De Paix√£o
O tempo est√° fechando e me parece, vai chover dentro de mim
E este clima quase me enloquece toda vez é sempre assim
Relampagos, trov√Ķes e vendaval no horizonte da minha paix√£o
Anunciando em minha vida, tempestade de paix√£o

O tempo quando fecha a solid√£o est√° rondando a minha cama
√Č chuva enxurrada no meu peito transformando tudo em lama
E surge o branco da minha esperança e marca ferro e fogo o coracão
Abre a porta entra a saudade vira fera fecha todas as saídas

Chove sem parar
√Č chuva √© l√°grima no meu olhar
√Č pranto que rola n√£o d√° pra evitar
Passo a te buscar na solid√£o da rua

E é sempre assim
Espero sozinho uma nova estação
Que traga de volta meu sol de ver√£o
E joga minha vida nos braços da rua

Corpo E Alma
Quando precisaste de mim lhe dei apoio e guarida
Entreguei-me de corpo e alma e juraste ser minha querida
Fumamos no mesmo cigarro bebemos no mesmo copo
Comemos no mesmo prato dormimos na mesma cama
Te fiz formosa e bonita ainda comenta que n√£o me amas

Eu que fui teu amigo na alegria e nas horas de dor
No amor eu fui teu amante na doença fui teu doutor
No mar eu fui teu barco, dos teus l√°bios eu fui o sorriso
Dos teus olhos eu fui a lágrima na esperança de poder alcançar
Ao menos um pouquinho do teu amor

Invers√£o De Valores
Queria que num gesto que eu fizesse
Tudo no mundo se modificasse
E o pranto da tristeza que existisse
Em c√Ęnticos de maior se transformasse

Queria que a criança que hoje sofre
De fome e frio nunca mais chorasse
No mundo de alegria e de esperança
Sorridente e bem contente ent√£o brincasse

Queria que essa gente ambiciosa
A sua ambição então freasse
Num gesto de ternura e amor
Dos que nada possuem se lembrasse

Mas eu queria controlar esse mundo de dores
Entre amores eu faria uma invers√£o de valores

"Ponha riso numa dor e na l√°grima um sorriso
onde há ódio eu punha amor, do inferno ao paraíso
eu faria prosperar só o mundo dos amores
a morte seria vida e os espinhos como flores"

Mas eu queria controlar esse mundo de dores
Entre amores eu faria uma invers√£o de valores

Eu Menti
Eu menti pra você quando eu disse que tinha esquecido
Eu menti pra você pra escapar do seu jeito bandido
Tive medo de sofrer na pele tudo aquilo outra vez
Quando penso em você eu me lembro do que já me fez

Eu menti pra você quando disse que tinha outro alguém
Eu falei foi da boca pra fora eu não tenho ninguém 
A verdade é que ainda me sinto assim todo seu 
O amor que eu jurei ter morrido sequer adoeceu

Se você quer mesmo a verdade 
T√ī morrendo de saudade¬†
Conto as horas pra te ver 
E desse amor não desisti 
Me perdoe se eu menti 
Foi de tanto amar você

Viva A Vida
Quebrei a taça da amargura 
Atirei seus pedaços ao vento
Gritei bem alto viva a vida!

O sol que andava meio ausente
Voltou a brilhar novamente 
Com o sorriso da mulher querida

As minhas l√°grimas secaram para sempre
Sua presença mandou a saudade embora
N√£o sinto mais essa ansiedade louca

Quando de amor estava quase morrendo 
Senti seus lábios para a vida me trazendo 
Com respiração de boca a boca

Só o amor vale tudo na vida 
Só o amor é a inspiração
Sem amor a esperança é perdida
Por amor escrevi esta canção

Jogo Do Amor
Com meu dinheiro eu comprei de tudo
No jogo da vida eu nunca perdi
Mas o coração da mulher querida
Parece mentira, mas n√£o consegui

Ela desprezou a minha riqueza
Com toda franqueza me disse também
Que gosta de outro com toda pobreza
E do meu dinheiro não quer um vintém

Nas demandas que tive na vida
O dinheiro me fez vencedor
Mas agora perdi a partida
O meu ouro n√£o teve valor

Meu rival é um pobre coitado
N√£o devia ser o ganhador
No entanto é o felizardo
E eu fui derrotado no jogo do amor

Compreendi que nem tudo é dinheiro
E nem tudo se pode comprar
O amor quando é verdadeiro
√Č de gra√ßa pra quem sabe amar

Vermelho Leite
Terra sobre terra, ódio sobre os olhos 
Cada palmo dessa estrada uma voz choravauma vontade morta
Medo quanto medo, sonhos tantos sonhos
Deus a ti proponhome abrir a porta

Se aqui meu filho chora e o poder ignora inprodutivamente humana
Nunca foi doce a balamas uma voz se cala e o leite se derrama

Vermelho leite fome de tantos é tanta guerra 
E t√£o pouca terra pra me dar um canto
Poucos têm muito, muitos sem nada
Povo que sonha dorme a vergonhada p√°tria amada

V√° Pro Inferno Com Seu Amor
N√£o adianta mais, chega de sofrer, chega de chorar
Voc√™ abusou demais j√° n√£o temos condi√ß√Ķes para continuar

Onde eu andei você andou onde jurei você jurou
Onde chorei você chorou minha proposta você aceitou
Amei demais você abusou meu coração você maltratou
Tudo que eu fiz você zombou do que eu era nem sei quem sou

V√° pro inferno com seu amor
Só eu amei você não me amou

Herói Da Velocidade
Eu presto cantando, minha homenagem
Ao grande herói da velocidade
Que parou na curva, do grande desejo
de repetir de novo Senna do Brasil

Porém na manhã de um domingo triste
O mundo parou o herói tombou, para sempre
Deixou a certeza, de uma miss√£o cumprida
Se transferiu dessa vida, nos cobriu de saudades
E foi morar com Deus

Nessa longa estrada da vida.
Vou correndo e n√£o posso parar
Na esperança de ser campeão

Estrada Da Vida
Nesta longa estrada da vida
Vou correndo e n√£o posso parar
Na esperança de ser campeão
Alcançando o primeiro lugar
Na esperança de ser campeão
Alcançando o primeiro lugar

Mas o tempo cercou minha estrada
E o cansaço me dominou
Minhas vistas se escureceram
E o final da corrida chegou

Este é o exemplo da vida
Para quem n√£o quer compreender
Nós devemos ser o que somos
Ter aquilo que bem merecer
Nós devemos ser o que somos
Ter aquilo que bem merecer

Mas o tempo cercou minha estrada
E o cansaço me dominou
Minhas vistas se escureceram
E o final desta vida chegou

Mķsicas do Šlbum Milion√°rio E Jos√© Rico Ao Vivo - (1999)

Nome Compositor Ritmo
Levando A Vida José Rico Bolero
Sonhei Com Você José Rico / Vicente Dias Balanço
Denguinho Chico Amado / Casemiro Arrasta-pé
Pão De Mel Zezé Di Camargo Balanço
Tribunal Do Amor José Rico Rancheira
Tempestade De Paixão Rick / Alexandre Balanço
Corpo E Alma José Rico / Ponteiro Balanço
Invers√£o De Valores Prado J√ļnior / Jo√£o A. Perrupato Corrido
Eu Menti Rick / Alexandre Balanço
Viva A Vida Chrysostomo / José Raimundo Corrido
Jogo De Amor Waldemar De Freitas Assunção / José Rico Rancheira
Vermelho Leite Rick / Alexandre Balanço
V√° Pro Inferno Com Seu Amor Meirinho Polca
Herói Da Velocidade José Rico Balada
Estrada Da Vida José Rico Rancheira
Compartilhe essa pŠgina
Aprenda a tocar viola, acesse Apostila de Viola Caipira Material de qualidade produzido por Jo„o Vilarim