Estrela De Ouro (CONTINENTAL 171405655) - (1986) - Tião Carreiro e Pardinho

Estrela De Ouro
Meu Deus onde está agora a mulher que amo
Será que está sozinha ou acompanhada
Só sei que aqui distante eu estou morrendo
Morrendo de saudade dela num mundo de lágrimas
Meu Deus mande que o vento encontre com ela
Pra dar minhas tristes notícias com seu açoite
Dizer que por não estar abraçado por ela
Eu choro num canto escondido no colo da noite

Meu Deus eu morro por ela e a ausência dela provoca meu choro
Ela é a luz que me ilumina, deusa da minha sina minha estrela de ouro

Rainha Do Vale
Rainha, rainha da minha vida
Vou levar você embora, do vale do Paraíba

No vale do Paraíba já derramei o meu pranto
Por causa de uma mulher cheia de charme e encantos
Rainha comprometida eu só quero seu amor
Seus braços é meu descanso
Você já deu um balanço, no peito do cantador 

Rainha, rainha da minha vida
Vou levar você embora, do vale do Paraíba

Não posso voltar no vale para ver o meu amor
Porque o dono da rainha quer matar o cantador
Quem sabe pedir perdão não pode sofrer castigo
Dá rosa tirei o espinho
O rei vai ficar sozinho e a rainha vai comigo

Rainha, rainha da minha vida
Vou levar você embora, do vale do Paraíba

Vim Dizer Adeus
Eu vim dizer adeus,amor
Sei que me dói demais o adeus
Mas Levarei por onde for
As marcas deste amor 
Amor que não morreu
Amor que vive e mim
Amor que não é meu

Eu não tenho mais o teu calor
Teus longos beijos de amor
Pra outro eu perdi
Não, não adianta esperar
Se já tem outro em meu lugar
Nada mais me prende aqui

Eu não tenho mais o teu calor
Teus longos beijos de amor
Pra outro eu perdi
Não, não adianta esperar
Se já tem outro em meu lugar
Nada mais me prende aqui

Canção Da Madrugada
A lua cheia está no céu brilhando 
Enfeita o mundo com os seus raios de prata
É nesta hora que apaixonado o poeta canta
Quase chorando lá na janela pra mulher ingrata

Mulher bonita venha na janela
Quero que ouça minha serenata
O seu desprezo é uma corrente
Me deu um nó que só você desata
Eu vim aqui pra lhe pedir carinho
Seu eu não ganhar esta paixão me mata

Mulher bonita estou desenganado
Quem me destrói é paixão recolhida
O meu remédio está nos seus lábios
Só os seus beijos me devolve à vida 

Eu vou tirar o meu coração do peito
E colocar no piso da sua calçada
E dos meus braços eu vou fazer a grade
A segurança da minha mulher amada

E dos meus olhos vou fazer um farol
Pra sua vida ser iluminada
Do seu desprezo faço uma canção
Pra enfeitar a sua madrugada
Pra terminar lhe dou a minha vida
Eu lhe dou tudo pra viver sem nada

Mulher bonita estou desenganado
Quem me destrói, é paixão recolhida
O meu remédio está nos seus lábios
Só os seus beijos, me devolve a vida

O Carpideiro
O carpideiro é o nome que se dá
A quem consegue chorar sem ter nenhuma emoção
Este é o fim amargo de um carpideiro
Que ganhou muito dinheiro chorando por profissão

Era chamado de longe quando morria
Alguém que não merecia uma lágrima de ninguém
E como sempre esta farsa se pratica
Entre gente muito rica ele ganhava muito bem

Foi tão famoso entre os outros companheiros
Era o rei dos carpideiros o mais falso chorador
Foi invejado por que hoje lhe apedreja
Por isso morre de inveja por quem chora por amor

Esta seguindo o rumo que a vida traça
Pra quem não chora de graça nada sente por ninguém
Este é o fim amargo de um carpideiro
Acabou o seu dinheiro e as suas forças também

Das tantas lágrimas que ele vendeu a esmo
Para chorar por si mesmo não lhe resta uma se quer
Somente o céu quando ver seu fim chegar
Sobre ele irá chorar todo pranto que tiver

Foi tão famoso entre os outros companheiros
Era o rei dos carpideiros o mais falso chorador
Foi invejado por que hoje lhe apedreja
Por isso morre de inveja por quem chora por amor

Saudade De Ituiutaba
As dores que já senti só uma que não acaba
É a dor da saudade que sinto de Ituiutaba
É a dor da saudade que sinto de Ituiutaba

Quem conhece Ituiutaba não esquece nunca mais
É onde se vê progresso e as belezas naturais
É uma terra abençoada coberta de amor e paz
Seu povo é uma família, é um diamante que brilha
No chão de Minas Gerais

As dores que já senti só uma que não acaba
É a dor da saudade que sinto de Ituiutaba
É a dor da saudade que sinto de Ituiutaba

Quando vou a Ituiutaba vou cantando triunfante
Quando chego vejo a vida mais bonita e fascinante
Na despedida eu choro porque vou ficar distante
Espero um dia na vida nesta terra tão querida
Também ser um habitante

As dores que já senti só uma que não acaba
É a dor da saudade que sinto de Ituiutaba
É a dor da saudade que sinto de Ituiutaba

Rio Paranapanema
O rio Paranapanema é obra do Criador
É espelho das estrelas o mundo do pescadore
No livro da natureza mais entrar mais um poema
Vamos cantar a beleza do rio Paranapanema

O rio Paranapanema deságua no Paraná
Mas toda a sua beleza deságua no meu cantar

De nascentes cristalinas suas águas são formadas
Matando a sede do gado e banhando as invernadas
A seca é a madrasta da roça desesperada
Água deste rio é mãe pra quem planta na beirada

O rio Paranapanema deságua no Paraná
Mas toda a sua beleza deságua no meu cantar

Meia dúzia de carrascos movidos pela ambição
Tentaram matar o rio com indústrias na região
O povo da redondeza fez das tripas coração
A empresa criminosa bateu com a cara no chão

O rio Paranapanema deságua no Paraná
Mas toda a sua beleza deságua no meu cantar

A Coisa Ficou Bonita
Sofria sem esperança a população aflita
A inflação furava o povo com sua espada esquisita
Caiu do céu um governo trazendo força infinita
O preço foi congelado quase ninguém acredita
O Brasil de ponta à ponta de alegria pula e grita
Presidente do pé quente chegou na hora bendita
A coisa que estava feia agora ficou bonita

Presidente e seus ministros capricharam na escrita
Pacotão veio bonito vejam só a cor da fita
Amarelo, verde, branco, azul bandeira que agita
O sofrimento do povo meu governo agora evita
Quem anda dentro da seda respeita quem veste a chita
Presidente do pé quente chegou na hora bendita
A coisa que estava feia agora ficou bonita

Recebeu um cruzado forte aquela inflação maldita
Já fizeram seu enterro e ela não ressuscita
Já voltou café na mesa pra família e pra visita
Excelência agora peço quero que o senhor permita
Presidente não congele beijo de mulher bonita
Presidente do pé quente chegou na hora bendita
A coisa que estava feia agora ficou bonita

Oi Paixão
Não suportando a saudade meu bem vim lhe visitar
Trazendo flores bonitas pra o nosso amor enfeitar
Distante dos teus carinhos eu sofro tanto e reclamo
Te juro minha querida vou terminar minha vida 
Nos braços de quem eu amo
Oi, paixão nos braços de quem eu amo

Nosso amor não tem limite não sei onde vai parar
Quanto mais você me ama, mais eu quero te amar
Uma dor de cotovelo machuca eu e você
Somos dois apaixonados vive alguém do nosso lado
Fazendo a gente sofrer
Oi paixão, fazendo a gente sofrer

O nosso caso de amor está correndo perigo
Mas quem tem anjo de guarda não cai nas mãos do inimigo
Somente as força ocultas poderão nos castigar
Mas amar não é pecado, Deus está do nosso lado
Ninguém vai nos separar
Oi paixão, ninguém vai nos separar

Vacilou Virou Petisco
Nas noites de cantoria eu não bebo e nem lambisco
Onde tem mulher bonita cantando pra ela eu pisco
Mas se a dona for casada nem um olhar eu arrisco
Nos olhos do seu marido eu não quero ser um cisco

No meio da mata virgem mora o bicho mais arisco
Na frente do bicho grande que o pequeno corre o risco
Na boca do tubarão vacilou virou petisco
A maré bate na rocha que sofre mais é o marisco

Eu ando bem devagar, mas penso igual um corisco
Eu faço tremer a terra quando na viola eu risco
Quem enfrentou tempestade não vai correr de chuvisco
Bem na hora da serpente no veneno é que eu belisco

Lá na Serra da Canastra que nasce o rio São Francisco
Da cabeça do poeta nasce os versos que eu rabisco
Rima de amor com dor no meu caderno eu confisco
Escolho rimas bonitas pra cantar e por no disco

O Mundo Velho Não Tem Jeito
Onde é que nós estamos Oh! Meu Deus tem dó da gente
Mundo velho já deu flor carunchou toda semente
Virou um rolo de cobra serpente engole serpente
Quem vive lesando a pátria dando pulo de contente
E o pobre trabalhador é um escravo na corrente

Estão matando e roubando é conflito permanente
Um bandido entrou no banco armado até os dentes
Chorou no colo da mãe a criancinha inocente
Mas ele achou que a criança perturbava o ambiente
Assassinou a mãe e filha, foi um quadro comovente

Tem família num bagaço fingindo viver contente
Alegria só por fora mas por dentro é diferente
É filha desmiolada que casou com delinqüente
É um genro pé de cana que não gosta do batente
Onde tem ovelha negra desmorona um lar descente

O mundo virou um vulcão e cada vez fica mais quente
Não há nada que esfria quero ver que me desmente
Um grande estoque de bombas crescendo diariamente
Quando estourarem todas as bombas ninguém fica pra semente
Mundo velho não tem jeito vira cinza brevemente

O mundo já está encardido e não adiante detergente
A sujeira desafia até soda e água quente
Num lugar morrem de sede no outros morrem de enchente
O Mestre lá das alturas meu Senhor Onipotente
Seu poder é infinito protegei a nossa gente

O Mundo No Avesso
O mundo já está no avesso, no avesso do embalo
Carneiro comendo o leão e o pinto matando o galo
Cavaleiro vai por baixo por cima vai o cavalo
É sapo engolindo cobra é coco quebrando o ralo
É mulher virando homem, homem virando mulher
Do jeito que o diabo gosta, tá do jeito que o diabo quer

O mar não está pra peixe a vida tá um caso sério
Eu já estou vendo defunto indo a pé pro cemitério
O touro mata o toureiro soldado prende o sargento
Banana come o macaco e a cobra morde São Bento
É mulher virando homem, homem virando mulher
Do jeito que o diabo gosta, tá do jeito que o diabo quer
 
Já tem criança nascendo cobre a enfermeira no tapa
Onde é que nós estamos tentaram matar o Papa
A cruz foge do diabo, cachorro foge do gato
Tem queijo treinando boxe pra quebrar a cara do rato
É mulher virando homem, homem virando mulher
Do jeito que o diabo gosta, tá do jeito que o diabo quer

Qualquer dia a lua esquenta, qualquer dia o sol esfria
O sol vai andar de noite, caminha a lua de dia
O inquilino não paga e na casa continua
Empregado já tem força pra jogar o patrão na rua
É mulher virando homem, homem virando mulher
Do jeito que o diabo gosta, tá do jeito que o diabo quer

Com Deus Na Frente
O poder de Deus é grande é força que não esgota
Eu ando com Deus na frente pro azar não dou pelota
Vou colado com a sorte igual caibro na vigota
Dei um chute na miséria fiz ela virar cambota

Eu ando com Deus na frente achei o ninho da nota
Meu dinheiro vai pro banco funcionário empacota
O gerente é gente fina é seda que não desbota
Quem tem um gerente amigo não cai na mão de agiota

Eu ando com Deus na frente vou indo na maciota
Eu planto na terra seca sem chuva semente brota
Tiro água do deserto cerco lagoa na grota
Fiz um bando de urubu virar um bando de gaivota

Meu pagode em linha reta não sai um palmo da rota
A mão direita ponteia trança os dedos na canhota
O meu peito é uma jamanta que não transporta derrota
Lotadinha de sucesso desce a serra e não capota

Meu Protesto
Eu sei que não estou agindo certo
Mas tenho mil razões pra agir assim
Se saio no comecinho da noite
Só volto quando a noite chega ao fim

Meu bem eu não lhe tiro o seu direito
De achar que sou errado e mesquinho
Se fui um bom marido em outros tempos
Foi quando eu fui tratado com carinho

Eu sei que é muito tarde mas lhe peço
Não me condene por estar chegando agora
A falta de amor aqui em casa
É que me obriga procurar amor lá fora

Já houve um tempo lindo em nossas vidas
Que tudo era só felicidade
De casa eu só saía pro trabalho
E vinha quase louco de saudade

Meu bem você mudou demais comigo
E esta é a razão do meu protesto
Parece que só lembra que eu existo
Somente pra falar que eu não presto

Eu sei que é muito tarde mais lhe peço
Não me condene por estar chegando agora
A falta de amor aqui em casa
É que me obriga a procurar amor lá fora

Msicas do lbum Estrela De Ouro (CONTINENTAL 171405655) - (1986)

Nome Compositor Ritmo
Estrela De Ouro Ronaldo Adriano / Tião Carreiro Guarânia
Rainha Do Vale Tião Carreiro / Donizeti Rojão
Vim Dizer Adeus Tião Carreiro / Paraíso Balanço
Canção Da Madrugada Lourival Dos Santos / Waldemar De Freitas Assunção Guarânia
O Carpideiro Manoelito Nunes / Duduca Cururu
Saudade De Ituiutaba Tião Carreiro / Jesus Belmiro Rojão
Rio Paranapanema Lourival Dos Santos / Domerio De Oliveira / Chicão Pereira Rojão
A Coisa Ficou Bonita Lourival Dos Santos / Tião Carreiro Pagode
Oi Paixão Tião Carreiro / Zé Paulo Cateretê
Vacilou Virou Petisco Tião Carreiro / Zé Batuta / Toninho Pagode
O Mundo Velho Não Tem Jeito Lourival Dos Santos / Tião Carreiro / Rose Abrão Cururu
O Mundo No Avesso Lourival Dos Santos / Tião Carreiro Pagode
Com Deus Na Frente Zé Batuta / Júlio Guidini / Sonivaldo Rodrigues Pagode
Meu Protesto Tião Carreiro / Manoelito Nunes Cururu Piracicabano
Compartilhe essa pgina
Aprenda a tocar viola, acesse Apostila de Viola Caipira Material de qualidade produzido por Joo Vilarim