Pagodes (Volume 2) (ALVORADA 210407240) - (1979) - Tião Carreiro e Pardinho

Nove E Nove
Para frente e para o alto eu nunca posso parar
Comigo é nos nove nove, nove nove eu vou contar
Meus versos tem nove nove nenhum nove vai faltar
Eu vou dar o resultado que os nove nove dá

Eu nasci no dia nove, nove horas fui pagão
Nove padre e nove igreja, nove vezes fui cristão
Eu entrei em nove escolas e aprendi nove lição
Eu ganhei nove medalhas quebrei nove campeão

Nove baiano valente junta nove valentia
Nove susto e nove choro correndo nove família
Nove baiano pulando corta nove ferro fria
Nove facão tá tinindo, nove bainha vazia

Entrei em nove pagode topei nove valentão
Nove tapa e nove tombo, nove caboclo no chão
Nove processo correndo e  trabalha nove escrivão
Nove ordem de soltura, nove advogado bom

Tive nove namorada, nove vezes fui casado
Nove sogra e nove sogro, nove lar abandonado
Quando foi no dia nove topei nove cabra armada
Nove tiro eu dei pra cima, fiz correr nove cunhado

Empreitada Perigosa
Já derrubamos o mato terminou a derrubada
Agora preste atenção meus amigos e camaradas
Não posso levar vocês na minha nova empreitada
Vou pagar tudo que devo e sair de madrugada

A minha nova empreitada não tem mato e nem espinho
Ferramentas não preciso guarde tudo num cantinho
Preciso de um cavalo bem ligeiro e bem mansinho
Preciso de muitas balas e um colt cavalinho

Eu nada tenho a perder pra minha vida eu não ligo
Mesmo assim eu peço à Deus que me livre do inimigo
A empreitada é perigosa sei que vou correr perigo
É por isso que não quero nenhum de vocês comigo

Eu vou roubar uma moça de um ninho de serpente
Ela quer casar comigo a família não consente
Já me mandaram um recado tão armado até os dentes
Vai chover balas no mundo se nós topar frente a frente

Adeus, adeus Preto Velho, Zé Maria e Serafim
Adeus, adeus Paraíba, Minerinho e seu Joaquim
Se eu não voltar amanhã podem até rezar por mim
Mas se tudo der certinho a menina tem que vim

A Ferro E Fogo
Venho de terras distantes por estrada perigosa
Vendo a morte toda hora na tocaia criminosa
Encontrando a cada passo só serpente venenosa
Caminho cheio de espinho, mas a viagem é vitoriosa

No meio de ferro e fogo a luta é deliciosa
Bala bate no meu peito e vira medalha honrosa
Se alguém me atirar pedra faço vira uma rosa
Quanto mais tombo eu caio acho a vida mais gostosa

Viola minha viola nós estamos em perigo 
Querem destruir você querendo acabar comigo
A guerra está declarada, mas a vitória eu consigo
Quanto mais perto da morte mais bonito ainda eu brigo

A viola e o violeiro vão ganhar este duelo 
Eu não nasci pra ser prego eu nasci pra ser martelo
Nesta cantoria encerro tudo o que há de mais belo
Eu brigo pra defender o nosso verde e amarelo

Tudo Serve
O pau de pinheiro serve pra fazer viola de pinho
O braço da viola serve pra mim pontear direitinho
Mulher faladeira serve pra falar mal dos vizinhos
As águas que corre e corre serve pra mover moinho
Carro velho na estrada serve pra entupir o caminho

Sapato apertado serve dói o calo quando eu piso
Negócio quando é mal feito só serve pra dar prejuízo
O dinheiro também serve, pois é dele que eu preciso
As mulheres bonitas servem pra gente perder o juízo
Os seus lábios também serve pra mim dar beijo e sorriso

Os seus beijos também servem pra me dar inspiração
A sua beleza serve pra aumentar minha paixão
Seus carinhos também servem pra dobrar minha ilusão
Seu orgulho também serve pra fazer ingratidão
Seu desprezo também serve pra ferir meu coração

Mocinhas de pouca idade só servem pra namorar
A sogra encrenqueira serve faz o casal separar
As mulheres baixinhas servem já nasceram pra teimar
Os homens baixinhos servem pra fazer os grandes brigar
Na casa que a mulher manda o homem serve pra apanhar

Sete Fechas
Quem é bom já nasce feito quem é ruim só atrapalha
Eu bato logo no burro e não bato na cangalha
Entrei numa guerra dura fiz virar fogo de palha
Fiz virar cartão de prata, punhal, espada e navalha
Bala bateu no meu peito derreteu virou medalha

Pra dar fim na minha vida prepararam uma cilada
Foi à noite num banquete com champanhe envenenada
Deus é pai não é padrasto ganhei mais uma parada
A taça que era minha foi parar em mão trocada
Quem me preparou o veneno foi morrer de madrugada

Eu recebi um presente numa caixa de sapato
Uma cobra venenosa que pegaram lá no mato
É dessas cobras que mordem quando não aleija mata
O meu nome é Sete Flechas nó que eu dou ninguém desata
Bati os olhos na cobra transformei numa gravata

Coloquei a tal gravata que o falso amigo mandou
Fui passear na casa dele desse jeito ele falou
Meu Deus que gravata linda na gravata ele pegou
A gravata deu bote que na mão dele picou
A gravata lhe mordeu foi a cobra que ele mandou

Uma Coisa Puxa Outra
O machado sem o cabo não bota a mata no chão
O mandante sem soldado não forma seu batalhão
Sem bagunça e sem baderna quero ver minha nação
Uma coisa puxa outra vai aqui minha opinião
Traidor da minha pátria não merece o meu perdão

Sem o policial na rua não trabalha o escrivão
Sem juiz se delegado não existia prisão
O juiz e o delegado fazem a lei entrar em ação
Uma coisa puxa outra vai aqui minha opinião
O malandro vira santo quando o advogado é bom

Sem o animal de raça não existe exposição
Sem disputa e sem torneio não existe campeão
Sem boiada e sem tropa não tem festa do peão
Uma coisa puxa outra vai aqui minha opinião
O rodeio de Barretos da um show de tradição

Sem o braço do caboclo não existe produção
Não tem soja não tem trigo, nem arroz e nem feijão
Sem auxílio da lavoura não vai nada pro fogão
Uma coisa puxa outra vai aqui minha opinião
Que seria da cidade sem ajuda do sertão

Sem trabalho e sem luta a gente não ganha o pão
Sem preguiça e moleza a gente vira patrão
Pra quem gosta de moleza eu dou sopa de algodão
Uma coisa puxa outra vai aqui minha opinião
Todos que vivem na sombra derramou suor no chão

Não É Mole Não 
No dia que eu me casei alegria foi demais
Toquei a mulher na frente a filharada foi atrás
Sou casado há vinte anos nunca briguei com a Maria
Casei e vim pra São Paulo deixei ela na Bahia

A fome bate na porta o amor pula a janela
A mulher que passa fome o marido fica sem ela
A mulher de vagabundo tem poucos dias de vida
Vagabundo dá carinho esquece de dar comida

O patrão era martelo no prego ele batia
O empregado era prego coitado como sofria
O patrão já virou prego agora que eu quero ver
O empregado é martelo que no prego vai bater

Nós aqui estamos deitando no Japão vão levantar
No Japão tão levantando nós aqui vamos deitar
Com japonesa eu não caso porque vi que não adianta
Quando eu levanto ela deita quando eu deito ela levanta

Minha vida é muito boa eu não poso reclamar
Como pato no almoço como pato no jantar
Eu matei um pato gordo convidei os meus vizinhos 
Fechei a porta e janela comi o pato sozinho

Bi-Campeão Mundial
A seleção canarinho brilhou lá no estrangeiro
Mostrou a classe e o valor do futebol brasileiro
Conquistou o bi campeão nem um tento eles perderam
Trouxeram a taça de volta pra terra que eles nasceram

Brasil com os mexicanos primeiro a ser disputado 
Perderam de dois a zero choraram ser derrotado
Brasil e Tchecoslováquia o jogo ficou empatado
E os dois quadros perderam um ponto pra cada lado

Brasil jogou com a Espanha que o primeiro gol marcaram
A nossa turma reagiu até no fim triunfaram
Brasil jogou com a Inglaterra que o futebol inventaram
A taça campeão mundial os inglês nunca levaram

Chileno entraram no campo todos gritaram olé
Ontem nos tomamos vodka hoje nós toma café
Vamos vencer o Brasil com Pelé ou sem Pelé
Dessa vez dançaram samba na cadência do Mané

Brasil e Tchecoslováquia para a disputa final
Contavam que eles venciam a seleção nacional
Aplicaram o tal ferrolho e saíram muito mal
Brasil conquistou invicto o bi campeão mundial

Viva Aimoré Moreira, viva o Vicente Feola
Viva os craques brasileiro e o Marechal da Vitória
Viva o Amarildo e Garrincha e o Pelé que é o rei da bola
Brasil é campeão do mundo nos somos campeão na viola

Adeus São Paulo
Adeus São Paulo, adeus meus pais
Vou-me embora pra Goiás e talvez não volte mais 
Vou-me embora pra Goiás e talvez não volte mais 

Dois corações que se amam viver longe não convém
O meu amor foi-se embora preciso partir também
Vou fazer despedida daqui para muito além
Adeus São Paulo querido sigo no primeiro trem, adeus

Adeus São Paulo, adeus meus pais
Vou-me embora pra Goiás e talvez não volte mais 
Vou-me embora pra Goiás e talvez não volte mais

Minha mãe quando eu partir não chore tanto eu lhe peço
Não vivo sem meu amor francamente eu me confesso
Sei que a goianinha chora aguardando o meu regresso
Por isso eu deixo São Paulo e para sempre eu me despeço, adeus

Adeus São Paulo, adeus meus pais
Vou-me embora pra Goiás e talvez não volte mais 
Vou-me embora pra Goiás e talvez não volte mais

Quando o pensamento vai onde a vista não alcança
Coração sofre demais no peito a saudade avança
Dois amores quando é sincero sofre e não perde a esperança
Quanto mais nós que se ama desde o tempo de criança

Adeus São Paulo, adeus meus pais
Vou-me embora pra Goiás e talvez não volte mais 
Vou-me embora pra Goiás e talvez não volte mais

Minha mãe me deu conselho pra desistir do meu bem
Sei que não resistirei vê-la nos braços de alguém
Cada um tem sua cruz sem ela não vai ninguém
Porque quem tem amor sofre quem não tem sofre também

Ponta De Espada
Eu gosto dela ela já sabe a paixão 
Da minha vida no meu peito já não cabe
Eu gosto dela ela já sabe a paixão 
Da minha vida no meu peito já não cabe

Estou gostando muito de uma garota 
Coisa mais linda que eu já vi na minha vida
Eu estou dando murro em ponta de faca
Infelizmente ela é flor proibida

Estou sofrendo calado sem dar suspiro
Esta batalha para mim já está perdida
Pro mundo inteiro confesso de coração
Esta paixão vai dar fim na minha vida

Eu gosto dela ela já sabe a paixão 
Da minha vida no meu peito já não cabe
Eu gosto dela ela já sabe a paixão 
Da minha vida no meu peito já não cabe

Foi numa noite abracei minha viola
Quase chorando fiquei na minha janela
Olhei pro céu e pra Deus fiz um pedido
Tem dó de mim me faça esquecer dela

Eu apertei minha viola no peito
Foi só tristeza nos versos que fiz pra ela
Você menina pra mim é ponta de espada
Varou meu peito vou morrer encostado nela

Eu gosto dela ela já sabe a paixão 
Da minha vida no meu peito já não cabe
Eu gosto dela ela já sabe a paixão 
Da minha vida no meu peito já não cabe

É Isso Que O Povo Quer
É isto que o povo quer, é isto que eu vou cantar
O povo pede alegria, alegria eu vou mandar
Eu canto o que o povo pede o que eu peço o povo dá

Eu arrumei um emprego do jeito que eu queria
Pagamento todo dia o patrão tem que aceitar
O emprego é bom de fato assinamos um contrato
No dia do pagamento é proibido trabalhar
Estou gostando do emprego, mas eu tenho que deixar
O patrão não quer dar férias eu preciso descansar

É isto que o povo quer, é isto que eu vou cantar
O povo pede alegria, alegria eu vou mandar
Eu canto o que o povo pede o que eu peço o povo dá

Só caso com mulher rica para dar conforto à ela
Enquanto eu tiver dinheiro nós dois não vamos brigar
Caso na segunda feira, na terça acaba o dinheiro
Na quarta brigo com ela e na quinta mando andar
Dinheiro e mulher bonita eu sempre andei atrás
Se acabar mulher e dinheiro eu não quero viver mais

É isto que o povo quer, é isto que eu vou cantar
O povo pede alegria, alegria eu vou mandar
Eu canto o que o povo pede o que eu peço o povo dá

Tudo Certo
Jacaré carrega a serra, mas nunca foi carpinteiro
E o bode também tem barba e não precisa ir ao barbeiro
Galo também tem espora, mas nunca foi cavaleiro
Sabiá canta bonito e não pode ser violeiro
Vigário faz casamento, mas vivem tudo solteiro

Lua nova é bonita não precisa usar pintura
Também a boca da noite nunca teve dentadura
Eu sei que o braço do mar não pode sofrer fratura
Navio também tem casco e não precisa ferradura
O engenho faz garapa, mas não come a rapadura

Aprendi dançar catira, mas não se dançar twist
O meu carro também canta e o seu cantar é triste
Tem violeiro que não vai, mas da viola não desiste
Prego também tem cabeça e nunca teve sinusite
Chaleira também tem bico, mas não pode comer alpiste

Eu não sou muito esperto, mas também não sou otário
Minhas contas eu não pago junto pra fazer rosário
Relógio trabalha tanto e nunca recebeu salário
João de Barro fez a casa hoje ele é proprietário
Papagaio fala muito e não conhece o dicionário

Garrincha tem perna torta, mas foi o mais aplaudido
Meu carro tem pé redondo e faz o rastro cumprido
Serrote também tem dente e não come nada cozido
O martelo tem orelha e não sofre dor de ouvido
As meninas dos meus olhos não precisam usar vestido

Msicas do lbum Pagodes (Volume 2) (ALVORADA 210407240) - (1979)

Nome Compositor Ritmo
Nove E Nove Tião Carreiro / Lourival Dos Santos / Teddy Vieira Pagode
Empreitada Perigosa Moacyr Dos Santos / Jacozinho Pagode
A Ferro E Fogo Lourival Dos Santos / Moacyr Dos Santos / Tião Carreiro Pagode
Tudo Serve Tião Carreiro / Moacyr Dos Santos Pagode
Sete Flechas Tião Carreiro / Lourival Dos Santos / Zé Mineiro Pagode
Uma Coisa Puxa Outra Tião Carreiro / Lourival Dos Santos / Cláudio Balestro Pagode
Não É Mole Não Tião Carreiro / Lourival Dos Santos Pagode
Bicampeão Mundial Teddy Vieira / Zé Carreiro Pagode
Adeus São Paulo Tião Carreiro / Carreirinho Pagode
Ponta De Espada Tião Carreiro / Lourival Dos Santos Arrasta-pé
É Isso Que O Povo Quer Tião Carreiro / Lourival Dos Santos / Carlos Compri Pagode
Tudo Certo Tião Carreiro / Moacyr Dos Santos Pagode
Compartilhe essa pgina
Aprenda a tocar viola, acesse Apostila de Viola Caipira Material de qualidade produzido por Joo Vilarim