Cavalo Pampa (CABOCLO-CONTINENTAL CLP 9201) - (1974) - Tibagi e Amaraí

Para ver a lista de músicas, clique na lista abaixo.

Cavalo Pampa
Tenho meu cavalo pampa foi presente do meu velho avô
Na corrida da fazenda manda o meu pampa foi vencedor
Já faz quase quatro semanas o senhor que na festa eu vi
Quis meu comprar meu cavalo pampa, mas da oferta eu desisti 

Me contou um peão da fazenda que da corrida participou
Diz que o dono da Fazenda Mansa sua linda filha mandou
Você leva um cheque assinado deixa que ele preencha o valor
Diga à ele que eu quero a resposta pagarei qualquer preço que for

Eu já estava bem informado quando a linda veio a minha procura
Num carrão que fazia inveja completando sua formosura
Foi chegando e atirou-se em meus braços e trocamos um beijos de amor
Nesta hora o cheque assinado foi rasgado e perdeu seu valor

Meu pai quer te comprar o cavalo e eu quero sentir teu calor
Eu te dou meu afeto e carinho e também meu eterno amor
Na fazenda eu faço e desfaço dos meus pais sou a única filha
Seu dinheiro e minha fazenda vai ficar tudo entre família

Adeus Maria
Não consigo esquecer nesta vida a mais triste e cruel despedida 
De uma linda e amada mulher
Arrumou as roupinhas na mala deu a última volta na sala
E partiu sem um beijo se quer
Anoitecia com a fira garoa caindo e seu mundo querido
Entre os ramos do velho jardim
Adeus Maria leve sempre em seu coraçãozinho a pureza, bondade e carinho
Que você sempre trouxe pra mim

Cai lá fora a tempestade e a noite é tão escura
Como dói esta saudade da formosa criatura

Assistindo a corrida dos anos abatido em meus desenganos
A menina não vi nunca mais
Hoje sei que perdi num duelo o diamante mais puro e mais belo
Do estado de Minas Gerais
Quanta saudade da mineira bonita que eu tinha ela era tão delicadinha
E eu era o seu amo e senhor
Não dei valor na princesa tão linda e tão bela hoje vivo chamando por ela
Mendigando um pouquinho de amor

Cai lá fora a tempestade e a noite é tão escura
Como dói esta saudade da formosa criatura
Como dói esta saudade da formosa criatura

Triste Abandono
Deixe que te fale nesta hora triste
Quando não existe mais seu grande amor
Desde que tu foste, desde que partiste
Tu me destruíste todo o meu vigor
Já não sou mais nada, sou uma folha morta
Nada me conforta, nada me compraz
Quando foste embora do meu doce abrigo
Também foi contigo, toda a minha paz

Esta é a dolorosa hora do abandono
Já não tenho sono, já não sei querer
No silêncio escuro do meu quarto pobre
Já ninguém descobre sombra de prazer

Não estás comigo, mas deixou minh’alma
E não tem mais calma, funda cicatriz
Esta é a mocidade cheia de vigor
Que sem teu amor sou um infeliz

Outra Noite Sem Meu Bem
Onde andará o meu benzinho nesta hora
Por que será que a gente ama tanto alguém?
Esta saudade me acompanha noite afora
É madrugada e o meu sono nunca vem

Para aumentar o desespero de quem chora
Os galos cantam nas quebradas muito além
Meu amorzinho não chegou até agora
Mais uma noite vou dormir sem o meu bem

Há tanta gente proclamando que me adora
Mas o que vale dois amores, dez ou cem?
Em minha raiva mando todo mundo embora
Não interessa não importa qual ou quem

Só a idéia de ter outra me apavora
Pois outro amor igual aquele aqui não tem
Talvez sonhando com os tempos de outrora
Mais uma noite vou dormir sem o meu bem

A minha mágoa nesta noite não melhora
Nas ruas mortas já não vejo mais ninguém
Sem entender o motivo da demora
Para meu quarto solitário vou também

Talvez meu anjo chegue ao romper da aurora
Que os outros anjos lá no céu digam amém
Na grande fossa deste ser que te adora
Mais uma noite vou dormir sem o meu bem

Prefiro Suportar A Saudade
Prefiro suportar está saudade e nunca mais voltar a te ver
Alguém foi destruir nossa amizade ainda meu bem não sei porque
Somente Deus é testemunha do quanto te amei querida
Tudo que era meu te dei só faltou também te dar minha vida

Agora só me resta o abandono e longas noites de solidão
Quem sofre assim como eu merece um trono é contra só quem não tem coração
Somente Deus é testemunha do quanto te amei querida
Tudo que era meu te dei só faltou também te dar minha vida

Travessa Da Amizade
A "esquina do adeus” hoje eu cantei baixinho
Só porque você benzinho gosta dela e sempre diz
Que você ser o meu bem minha vida, minha glória
Vou contar-lhe o fim da história dessa música que eu fiz
 
Antes de você menina tive outra preferida
Mas as coisas desta vida têm princípios e finais
Numa volta do caminho quando o sol ia entrando
Ela ficou soluçando e eu parti pra nunca mais
 
Já se foram cinco anos desde aquela despedida
Sofri muito em minha vida e jurei não mais amar
Mas vagando ao léu da sorte pelo bairro da saudade
Na travessa da amizade nós cruzamos o olhar
 
Tal igual um andarilho que no jogo acerta-se
Quis a sorte que eu ganhasse sua doce companhia
Onde o novo amor começa e uma grande dor termina
E você meiga menina hoje é minha alegria
 
Navegando em verdes mares esqueci os maus caminhos
O farol dos seus olhinhos minha rota iluminou
Você é o meu presente meu futuro encantado
E nas águas do passado a tristeza naufragou
 
Da "esquina do adeus” só restou mesmo a canção
Pois você meu coração é o amor que sempre quis
Meu pedaço de esperança, minha vida, meu carinho
Deus lhe pague meu benzinho por fazer-me tão feliz

Carta De Filho
Mãe adorada aqui segue esta cartinha sei que tem chorado tanto por mim
Mas Deus me guia, oh, mamãezinha por favor não sofra tanto assim
Não, não chore mais santa querida eu já tive tanta mágoa e dor
Foi a minha escola a própria vida e o mundo o meu grande professor

Há muitos anos te deixei ainda criança ai, quanto chorou pobre mãezinha
Tenho aquela sena na lembrança guardarei por toda vida minha
O seu retratinho já apagado não me canso nunca de olhar
Choro ao ver seu rosto adorado que eu não pude nunca mais beijar

Mas se eu choro é de saudade da senhora pois em tudo mais sou bem feliz
E se vivo pelo mundo afora foi porque Jesus assim o quis
Mas eu já não sou um andarilho tenho um doce lar e uma mulher
Aceite um abraço de seu filho adeus até um dia se Deus quiser

Teu Adeus É Motivo De Meu Pranto
Eu não quero ouvir falar em despedida
E nem dizer que não podemos continuar
Se você vai me deixar minha querida
Por favor, agora vamos nos amar

Com certeza amanhã a esta hora
Eu estarei sentindo falta de você
No amanhecer você precisa ir embora
E eu preciso procurar te esquecer

Ficarei aqui no meu apartamento
Te esperando até o fim dos dias meus
As recordações do nosso amor vivido
Será um poema do meu ser dos sonhos meus

"Querida eu queria que essa noite fosse perpétua para nunca mais se afastar dos braços seus.
Mas o relógio já está quase anunciando à hora triste de ouvir o seu adeus.

Esta noite que você está comigo
Eu não penso que vou sofrer depois
Tenho agora os teus braços como abrigo
E um mundo de ventura pra nós dois

Se tivesse seu amor por recompensa 
Faria tudo pra evitar sua partida
Como não posso vou sofrer a dor imensa
De uma saudade bem maior que minha vida

Ficarei aqui no meu apartamento
Te esperando até o fim dos dias meus
As recordações do nosso amor vivido
Será um poema do meu ser dos sonhos meus

Santa Helena De Goiás
De ti distante eu sinto saudade dos momentos felizes não esqueço jamais
Estou falando de uma linda cidade minha Santa Helena lá de Goiás
Desperta a alvorada surge um lindo dia sua verdes campinas com um céu de paz
Santa Helena cidade beleza toda natureza existe em Goiás

Na grande floresta de cimento armado quantas vezes triste eu quase chorei
Por sentir saudade do feliz passado na cidadezinha onde me criei
Coisa que a gente paga o alto preço de ganhar o nome e perder a paz
Eu vivo distante, mas não a esqueço minha Santa Helena lá de Goiás

O meu rio verde cor de esperança meu companheirinho a quem tanto quis
Minha escolinha meu amor criança minha Santa Helena que me fez feliz
Muito brevemente vou vê-la de novo, pois minha saudade nunca se desfaz
Que Deus abençoe todo o seu povo minha Santa Helena lá de Goiás

Sem Bolo E Sem Vela
Hoje amanheci tão triste queria ao menos te dar meus parabéns
Faz um ano que você me disse adeus até hoje estou sofrendo continuo sem ninguém
Muita gente em seu aniversário eu também queria hoje lhe abraçar
Mas não posso pois é outro seu amor e o presente que lhe dou você não quer aceitar

Sem bolo e sem vela ausente do teu carinho 
Chorando canto sozinho parabéns para você
Hei de ser forte pra seguir outro caminho
Sei que vou viver sozinho vou tentar lhe esquecer
Hei de ser forte pra seguir outro caminho
Sei que vou viver sozinho vou tentar lhe esquecer

A Terceira Caída
Neste mundo não tenho consolo só tenho tristeza nasci só pra chorar
Por isso sempre me olham tão triste de tua partida eu não quero lembrar
Eu vou dizer o que senti vida minha com tanta agonia sem ter a quem adorar
Sinto tua falta para consolar sem os teus carinhos não sei se vou suportar

Está acabando-me a vida a minha alma ferida que me causou teu desprezo
Me deste a despedida como a terceira caída meu pobre destino cruel

Lição De Caboclo
Enquanto Trindade louvava o Divino surgiu um grã-fino num certo salão
Falando horrores com ares de troça da gente da roça que cuida do chão
Mas entre os presentes um moço que ouvia com diplomacia chamo-lhe a atenção
Eu venho pedir que seu mau brasileiro que trate o roceiro com educação

Jogando pra trás os cabelos compridos num gesto atrevido falou arrogante
Quem és o caipira com essa rompância lhe dar confiança me é humilhante
Meu pai tem riqueza e na sociedade só faço amizade com gente importante
E quem te apóia caipira atrasado procure atestado de ignorante 

Respondeu o moço com educação vim ver o sertão onde fui criado
Agora a verdade tem que vir a tona não me impressiona teu papo furado
Que vale essa panca de rico fingido se és atrevido e mal educado
Sou pobre e humilde, mas digo a verdade que na faculdade eu fui diplomado

Respeito e defendo o nosso roceiro que ganha dinheiro lavrando o chão
Sem ele coitado de alguns se enriquecem que às vezes se esquecem que comem feijão
Ouvindo estas frases toda a caboclada em fila formada apertaram-lhe a mão
E o moço grã-fino vencido bradava eu não esperava por essa lição 

Músicas do álbum Cavalo Pampa (CABOCLO-CONTINENTAL CLP 9201) - (1974)

Nome Compositor Ritmo
Cavalo Pampa Amaraí / Hélio Alves / Ziltinho Valsa
Adeus Maria Goiá / Sebastião Victor Chimarrita
Triste Abandono Goiá / Zacarias Mourão Guarânia
Outra Noite Sem Meu Bem Goiá / Waldemar De Freitas Assunção Bolero
Prefiro Suportar A Saudade Juquinha / Amaraí Rasqueado
Travessa Da Amizade Goiá / Sebastião Victor Polca
Carta De Filho Goiá / Plinio Alves Guarânia
Teu Adeus É Motivo De Meu Pranto Jacó / Jacozinho Bolero
Santa Helena De Goiás Goiá / Amaraí Rasqueado
Sem Bolo E Sem Vela Sebastião Ferreira Da Silva / Tony Damito Balanço
A Terceira Caída Ezequiel Mejia / Vers.:Amaraí Rancheira
Lição De Caboclo Goiá / Julião Saturno Rasqueado
Compartilhe essa página
Aprenda a tocar viola, acesse Apostila de Viola Caipira Material de qualidade produzido por João Vilarim