Salve Campos Do Jordão (CABOCLO-CONTINENTAL CLP 9190) - (1974) - Tonico e Tinoco

Boi Amarelinho
Eu sou aquele boizinho que nasceu no mês de maio
Ai desde que eu vim no mundo foi só pra sofrer trabalho
Fizeram logo o batismo na margem do riozinho
Por causa da minha cor fui chamado amarelinho

Quando eu tinha ano e meio fizeram "amansação”
Puxando carro pesado e tora no carretão
Carreiro que me domava me fazia judiação
Dei uma chifrada nele que varou no coração

Ai meu patrão já disse vou mandar esse boi pro corte
Não trabalha no meu carro boi que já deve uma morte
Eu cheguei no matador não encontrava saída
Amarraram no palanque entreguei a minha vida

O malvado carniceiro correu amolar o facão
Me largou uma facada bem certo no coração
Botei meu joelho em terra vendo meu sangue correr
Meu corpo todo tremia berrava pra não morrer

Adeus campo de Varginha terra de Minas Gerais 
Os olhos que lá me viram amanhã não me vê mais

Salto De Piracicaba
Velho Rio Piracicaba tem encanto e tem beleza
Na cachoeira que desaba sua grande correnteza
É água que não se acaba encanto da natureza

As águas que vêm distante passando o salto ela chora
Despedindo do mirante diz adeus e vai-se embora

O salto Piracicaba a beleza é natural
Meu rancho na beira d'água eu fico vendo o luar
Ouvindo a canção das águas fazendo chuá, chuá

As águas que vêm distante passando o salto ela chora
Despedindo do mirante diz adeus e vai-se embora

Pois o rio da nossa vida correnteza são iguais
Chorando na despedida, não pode voltar pra traz
Deixando um rio de saudade um adeus pra nunca mais

As águas que vem distante passando o salto ela chora
Despedindo do Mirante diz adeus e vai-se embora

As Flores
Flor é uma estrofe sublime que no seio da planta nasceu
Retrato fiel da inocência que no ventre da terra cresceu
Enfeita alegria e festa memória de quem já morreu
A flor é um encanto do mundo um poema que Deus escreveu

Grinalda é a flor da paixão a mulher é a flor da ilusão
Deixa a saudade plantada no jardim do nosso coração
Sereno flor da madrugada soluço é a flor da paixão
Luar a flor do poeta e a cabocla a flor do sertão

A vida da flor é tão curta vai secando do seu ramo cai
Lembrança de uma primavera que o tempo deixa pra traz
Também somo flores da terra nossa vida também são iguais
Primavera todo ano voltar nossa vida não volta mais

Corneteiro Do Sertão
Canta o galo no puleiro chegando a nova jornada
Do sertão é o mensageiro é o clarim da madrugada
O galo é o corneteiro acordando a passarada
Ai, ai, eu desperto os camarada

Com sua soberania é justiça no terreiro
Marcando hora do dia que passa no mundo inteiro
Sua linda melodia o eterno seresteiro
Ai, ai, ele é nosso violeiro

Canta desde madrugada cumprindo sua missão
Acordando a passarada alegrando a solidão
Corneteiro da alvorada do nosso lindo sertão
Ai, ai, segredo da criação

O galo é um soldado mensageiro do divino
Por ele ter anunciado ao nascer Jesus Menino
O mundo foi abalado a natureza sorrindo
Ai, ai, os anjo cantando hino

Coisas Nossas
Eu sou caboclo folgado criado na serrania
Eu não sou muito letrado dá pra minha serventia
Algum dinheiro guardado cavalo pra montaria
O meu cachorro ensinado e as ceva pra pescaria

À tarde fim da jornada, cabocla me serve a janta
Levanto de madrugada na hora que o galo canta
Eu vou tratando a porcada aurora também levanta
Vejo a campina orvalhada vou cuidar da minha planta

Caboclo trabalhador, necessidade não passa
Rezo pra Nosso Senhor e já recebo uma graça
Dinheiro nunca faltou pro meu negócio na praça
Sei disfarçar minha dor quando a saudade me abraça

Eu só vou no povoado, ai, no fim de cada mês
Assim mesmo eu paro pouco na venda que eu sou freguês
Eu tomo minha pinguinha e pago a compra que eu fiz
Lembro da caboclinha volto pra roça outra vez

Não vou morar na cidade não é questão que eu não possa
Sou caboclo sem vaidade nasci pra viver na roça
Eu tenho meu alazão a cabocla na palhoça
Eu gosto do meu sertão e tudo que é coisa nossa

Minas Gerais 
Tenho uma história pra contar pra vocês
Eu sou mineiro e mineiro bom
Não faz um dia nem tampouco um mês
Faz muitos anos não esqueço não
Eu era moço era mineiro forte
Trabalhador eu posso até jurar
Corri o Brasil e foi de sul a norte
Quando deixei meu Estado natal

Minas Gerais deixei lá meu sertão
Trouxe saudade de lá vim embora
Mas trouxe ela no meu coração
Quando me lembro até meus olhos choram
Eu vou contar pro que razão saí
Por que deixei o meu torrão natal
Deixei meu rancho lá donde eu nasci
Que foi meu berço isso é natural

Foi num ranchinho bem lá na picada
Pois até hoje você pode vê
Lá eu nasci e na mesma morada
Veio também um outro amor nascer
Aquela santa minha companheira
Que Deus me deu pra nós vivermos felizes
Até que um dia a sorte traiçoeira
Levou aquela que eu tanto quis

Um dia então foi com tanta tristeza
Meu coração a soluçar de dor
Eu me arribei por outra natureza
Mina Gerais tão grande lá ficou
Mas qual o que eu não me esqueço não
Pro meu Estado eu quero voltar
Quero morrer naquele meu sertão
Quero morrer lá em Mina Gerais

Salve Campos Do Jordão
No topo da Mantiqueira no recanto do sertão
Linda terra hospitaleira estância brasileira Campos do Jordão

Salve Campos do Jordão, salve Campos do Jordão, 

Os passarinho em seresta, cantando sua canção
Sinfonia da floresta, natureza em festa faz a saudação
Salve Campos do Jordão, salve Campos do Jordão, 

O seio verde da serra coberta de cerração
A cortina da geada sobre a madrugada Campos do Jordão
Salve Campos do Jordão, salve Campos do Jordão 

O teu clima abençoado milagre da criação
É o recanto do turista orgulho paulista velha tradição
Salve Campos do Jordão, salve Campos do Jordão 

Vendo teu lindo cenário guarda na imaginação
Marcado no calendário o teu centenário de paz e união
Salve Campos do Jordão, salve Campos do Jordão 

Papai
De braço aberto lá vem o papai
Vem do seu trabalho cansado demais
A cada filho um sorriso ele traz
A família sente alegre ambiente
A mamãe contente que vida de paz

Que ranchinho alegre coberto de flor
Tudo foi plantado pelo semeador
Passarinho canta o hino de amor
O verde roçado, o campo e o gado
Foi abençoado por Nosso Senhor

O pai da cidade e o pai do sertão
Ensinando o filho de tudo que é bom
Criança é o futuro da nossa Nação
Ensine a verdade viver na humildade
A felicidade é paz e união

Balança Mas Não Cai
Vai, não vai, vai, não vai,
O balanço é muito bom 
Que balança mas não cai   

E no balanço do pandeiro do Godêncio
A contradança do lenço as moça tira o rapaz
É no compasso da sanfoninha do Zé
No baile o arrasta-pé que balança mas não cai

Vai, não vai, vai, não vai,
O balanço é muito bom 
Que balança mas não cai   

O limpa-banco, todo mundo sai dançando
Até as velhas requebrando o balança mas não cai
O Zé do Rancho namorando com a Maria
A noiva do Zacarias que deixou ele pra traz

Vai, não vai, vai, não vai,
O balanço é muito bom 
Que balança mas não cai   

O Zacarias deu um tiro no lampião 
E gritou na escuridão hoje daqui ninguém sai
O sanfoneiro saiu com fole rasgado
Pegou fogo o empalizado e ninguém balançou mais
Vai, não vai...

Passos Da Vida
Pra nascer tem hora certa, pra morrer hora marcada
Quando a gente vem no mundo com a vida já traçada
Segue o passo do destino cada um na sua estrada
O tempo que vai levando nossa vida carregada

Quando a gente é pequeninho caindo daqui pra lá
E tropeçando no tempo a cada passo que dá
A nossa mãe carinhosa ajudava a levantar
Primeiro passo da vida a vida começa andar

A nossa infância querida vai passando sem demora
Também passa a mocidade como ao romper da aurora
O nosso pai já velhinho relembra o passado e chora
Daqueles passos da vida que o tempo levou se embora

Hoje o nosso fiinho também tropeça e cai
Ajudamos os pequeninho como fez o nosso pai
Assim é o passo da vida deixando rasto pra traz
O tempo vai carregando a vida pra nunca mais

Boa Noite, Amor
Boa noite, amor, boa noite 
Durma pensando somente em mim
Boa noite, amor, boa noite 
Eu dormirei pensando em ti 

Deixo contigo o meu retrato 
Se tu quiseres sonhar comigo 
Tu sonharás a noite inteira 
Eu sonharei também contigo 

O meu desejo é levar-te à igreja 
Aos pés do altar, unir a nossa vida
É muito tarde eu preciso ir embora 
Boa noite, minha querida 
Boa noite, amor, boa noite 
Boa noite, minha querida 

Terceira Geração
Nesta viola eu canto e gemo de verdade
Cada toada representa uma saudade

Ouvia esta canção no colo do velho pai
Que triste recordação que pra mim não volta mais
Fique moço sempre ouvindo a moda desses violeiros
Fiz uma festa sorrindo despedida de solteiro

Nesta viola eu canto e gemo de verdade
Cada toada representa uma saudade

Depois de um ano sorrindo a felicidade quis
Nasceu o primeiro filhinho alegrou o meu lar feliz
Pro caminho que eu passei os filhos estão passando
Seguindo a estrada da vida uns sorrindo, outros chorando

Nesta viola eu canto e gemo de verdade
Cada toada representa uma saudade

Um dia meu pai morreu em casa tudo chorou
No ponteio da viola uma saudade ficou
Meus filhos sigam ouvindo a vós desses cantadores
É um pedido do teu pai lembrança do teu avô

Nesta viola eu canto e gemo de verdade
Cada toada representa uma saudade

Músicas do álbum Salve Campos Do Jordão (CABOCLO-CONTINENTAL CLP 9190) - (1974)

Nome Compositor Ritmo
Boi Amarelinho Raul Torres Cururu
Salto De Piracicaba Tonico / Tinoco / Toninho Cururu
As Flores Tonico / Tinoco / Milton José Valsa
Corneteiro Do Sertão Tonico / Tinoco / Joanito / Cláudio Duarte Rojão
Coisas Nossas Craveiro / Nhô Moraes / Nhô Neco Moda De Viola
Minas Gerais Raul Torres / João Pacífico Toada
Salve Campos Do Jordão Tonico / Tinoco / Mamarama Corrido
Papai Tonico / Manito / Francisco Barreto Valsa
Balança Mas Não Cai Tonico / Tinoco / Tramela Cana-verde
Passos Da Vida Tonico / Tinoco / Roberto Stanganelli Guarânia
Boa Noite, Amor Waldick Soriano / Teddy Vieira Corrido
Terceira Geração Tonico / Carlito Toada
Compartilhe essa página
Aprenda a tocar viola, acesse Apostila de Viola Caipira Material de qualidade produzido por João Vilarim